A idade dos contabilistas certificados e as práticas de controlo interno

Carlos Carvalho, Carlos Quelhas Martins, Vasco Salazar Soares

Abstract


O presente artigo aborda o tema do controlo interno nas empresas e a importância que a idade dos contabilistas certificados apresenta para essas práticas, dando especial relevo às micro e pequenas empresas.

O estudo elaborado consistiu na realização de um questionário dirigido aos Contabilistas certificados com o objetivo principal de averiguar se os Contabilistas Certificados que são mais consultados pelos Gestores exercem mais funções de Controlo Interno e elaboram com mais frequência os Orçamentos de Tesouraria, bem como testar se os Contabilistas Certificados com mais Idade (com mais de 40 anos) têm maior relevância nestas práticas.

O estudo permitiu comprovar que os Contabilistas Certificados com mais de 40 anos que realizam mais práticas de controlo interno e elaboram mais orçamentos de tesouraria, são frequentemente mais consultados pelos Gestores para a prática de controlo interno. O mesmo não se verifica para os Contabilistas Certificados de idade igual ou inferior a 40 anos.


Keywords


Controlo Interno, Contabilistas Certificados e Idade

Full Text:

PDF

References


AICPA. (2007). AU Section 319 - Consideration of Internal Control in a Financial Statement Audit, 08. Acedido em 2014-01-26, de http://pcaobus.org/Standards/Auditing/ Pages/AU319.aspx#ps-pcaob_86e651e4-d8dd-407a-9487-ab1c7a6dd22e

Almeida, M. C. (1996). Auditoria: um curso moderno e completo. Atlas.

Altamuro J. e Beatty A. (2009). How does internal control regulation affect financial reporting? Journal of accounting and economics.

Bloom N., Genakos C., Sadun R. e Van Reenen J. (2012), Management practices across firms and countries, National Bureau of Economic Research.

Bordin P. e Saraiva C.J. (2005). O controle interno como ferramenta fundamental para a fidedignidade das informações contábeis. Revista electrónica de contabilidade, curso de ciências contábeis UFSM.

Carvalho J. E. (2011). Gestão de empresas – Princípios fundamentais. Edições Sílabo, 2.ª Edição.

Chiavenato, I. (1994). Administração - Teoria, Processo e Prática. Makron Books, 2.ª Edição.

COSO. (2013). Internal Control - Integrated Framework: Executive Summary. Acedido em 2014-01-27, de http://www.coso.org/documents/990025P_Executive_Summary_final_ may20_e.pdf.

Costa A.F.F. (2010). Gestão financeira a curto prazo. Relatório de estágio do mestrado em gestão. Faculdade de economia da universidade de Coimbra. 71 pp.

Costa C.B. (2010). Auditoria Financeira – Teoria & Prática. 9.ª Edição, Rei dos Livros.

Feng M., Li C. e McVay S. (2009). Internal control and management guidance. Journal of accounting and economics.

Figueiredo C. M. A. (2012). O contributo de boas práticas contabilísticas para uma auditoria financeira eficaz. Dissertação de mestrado em Auditoria. Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto. 101 pp.

Hill, A. e Hill M.M. (2008). Investigação por questionário. Edições Sílabo, 2.ª edição.

IFAC. (2009). Section A5-A11 – International Standard on Auditing 265. Acedido a 21 de Fevereiro de 2014, de http://www.ifac.org/sites/default/files/downloads/a015-2010-iaasb-handbook-isa-265.pdf.

Instituto Nacional de Estatística (2011). Empresas em Portugal 2009. Acedido em 1 de Dezembro de 2012, em: http://www.ine.pt.

Neves J.F.N. (2009). Sistemas de controlo interno nas pequenas e médias empresas no concelho de Aveiro. Dissertação de mestrado em contabilidade e auditoria. Universidade de Aveiro. 157 pp.

Oliveira, M. C.; Linhares, J. S. (2006). A implementação de controle interno adequado às exigências da lei Sarbanes-Oxley em empresas brasileiras – Um estudo de caso.

Ordem dos Revisores Oficiais de Contas (2000). Directriz de Revisão/Auditoria 410 – Controlo Interno. Acedido em 1 de Dezembro de 2012, em: http://www.infocontab.com.pt/download/DRA/DRA410.pdf.

Pang Y. e Shi D. (2009). Integration of internal control and risk management. International conference of Business intelligence and financial engineering.

Rocha L.F.B. (2009). Sistemas de controlo interno de reporte financeiro (SCIRF) no grupo EDP – energias de Portugal. Projecto de mestrado em contabilidade. ISCTE – Instituto universitário de Lisboa. 89 pp.

Sá J. V. (2011). Portugal e o Futuro. Vida Económica.

Severo A.F.N. (2009). Práticas de contabilidade. Relatório de estágio do mestrado em gestão. Faculdade de economia da universidade de Coimbra. 64 pp.

Silva C.R.T.R.A. (2009). A importância atribuída pelos empresários da grande Lisboa ao controlo interno. Dissertação de mestrado em contabilidade e auditoria. Universidade de Aveiro. 171 pp.

Silvestre H. C. e Araújo J. F. (2011). Metodologia para a investigação social. Escolar editora.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Portuguese Journal of Finance, Management and Accounting

e-ISSN: 2183-3826

 

International Networks of Indexing: GOOGLE SCHOLAR, RCAAP, REBID, DRJI